Rumo ao XI CBA: adubando a terra, semeando esperança

III Encontro Nacional de Agroecologia. Foto: Cintia Barenho
Produzir coletivamente um encontro como o Congresso Brasileiro de Agroecologia (CBA), mergulho que nos propomos a fazer a cada dois anos, é um potente desafio. Na certeza de que só é possível realizá-lo ao lado das diversas organizações que caminham conosco e com as quais construímos nossa trajetória, este ano teremos o XI CBA. Animado pela Associação Brasileira de Agroecologia (ABA) e pela Rede Sergipana de Agroecologia (RESEA), o evento será realizado de 4 a 7 de novembro de 2019, na Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Com o lema Ecologia de Saberes: Ciência, Cultura e Arte na Democratização dos Sistemas Agroalimentares, e ressaltando a importância dos processos preparatórios descentralizados nos territórios, um de nossos horizontes é fortalecer os espaços de organização e mobilização social dos diversos sujeitos que constroem a agroecologia enquanto prática, ciência e movimento.

E, como todo grande encontro, a realização do XI CBA nos traz diversos desafios. Acolhemos o que chega e tentamos, coletivamente, encontrar caminhos para solucionar as demandas, seguindo os princípios agroecológicos e nossos sonhos de fortalecer a construção do conhecimento.

Com o CBA se aproximando, o período de submissão de trabalhos aberto e a necessidade de nos organizarmos para contribuir com a construção do congresso de forma qualificada a partir dos territórios, atentamos para uma questão central: o entendimento do CBA não apenas como um evento ou um “éééé vento”, aquele que vem, cumpre seu papel e passa. O congresso é muito mais que um momento de alguns dias, é um processo coletivo de construção e fortalecimento. Por isso, toda crítica, sugestão e contribuição são mais que bem vindas, bem como as mãos, mentes e corações para construir em conjunto.

Seguimos a disposição, em parceria e em rede, construindo conhecimento!