Troca de sementes: estão abertas as inscrições para a Feira da Agrobiodiversidade

Você é guardião ou guardiã de sementes crioulas? Então traga suas sementes e mudas para trocar na Feira da Agrobiodiversidade do XI Congresso Brasileiro de Agroecologia (CBA). As inscrições estarão abertas até o dia 25 de outubro, por meio de formulário online.

A Feira deve reunir guardiões(ãs) das mais diversas regiões do país. A iniciativa busca fortalecer a rede de conservação e troca de sementes crioulas e florestais e promover diálogos sobre agrobiodiversidade e práticas agroecológicas, fortalecendo o compartilhamento de saberes e sementes.

A previsão é de que a Feira ocorra entre os dias 5 e 6 de novembro, das 16h30 às 18h30, a depender do número de inscritos. Com o objetivo de fortalecer a prática da agrobiodiversidade, será feito reconhecimento simbólico na cerimônia de encerramento do congresso para os/as dez primeiros/as guardiões/ãs que expuserem o maior número de variedades totais e de espécies durante a feira de troca.

Acesse aqui o formulário de inscrição e atente-se às orientações.

Orientações gerais aos participantes:
- É necessário que cada guardiã/o traga suas sementes já separadas e as variedades previamente identificadas pelo nome;

- No dia determinado para a exposição, cada expositor deverá colocar suas sementes no espaço numerado uma hora antes, para que possam ser contabilizadas pela organização;

- As sementes serão dispostas em esteiras ou tapetes a serem providenciadas pelos expositores no material de sua preferência;

- Cada espaço estará devidamente identificado com o número correspondente. Ao lado do local de exposição, será fixada a relação de nomes dos expositores e o mapa dos espaços;

- Para efetivar as trocas entre guardiões/ãs, haverá um primeiro momento de apresentação das sementes, aglutinadas por biomas, e um segundo momento exclusivo para a realização das trocas entre os guardiões. Realizada essa primeira troca, o local será aberto para os demais participantes não cadastrados visitarem as bancas dos guardiões. Serão dedicadas duas horas para a feira da agrobiodiversidade;

- Durante a feira, haverá microfone disponível para depoimento dos/as guardiões/ãs no contexto de: apresentação pessoal, informações sobre as espécies e variedades expostas (nome, se é comum ou não, relação com a sua cultura e família, entre outras).

- A disponibilização de material genético distribuído, trocado ou comercializado durante a feira é de inteira responsabilidade dos expositores.

Confira a programação do XI Congresso Brasileiro de Agroecologia

Inspirada na circularidade e sustentação da Teia, metodologia convida congressistas a uma participação ativa

Está no ar a programação preliminar do XI CBA. O documento traz as atividades diárias e também explica o processo de construção da metodologia, pensada no formato de Teia. A proposta tem como objetivo a interação de diferentes saberes em espaços plurais de diálogo.

O encontro ocorrerá em Sergipe entre os dias 4 e 7 de novembro de 2019 e o lema desta edição é “Ecologia de Saberes: Ciência, Cultura e Arte na Democratização dos Sistemas Agroalimentares”.

Segundo Paulo Petersen, da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA), a opção pelo lema do XI CBA parte da ideia de que a Agroecologia se constrói a partir da interação entre prática, ciência e movimento e de que as diversas fontes de conhecimento precisam interagir.

"A ecologia é a ciência das interações. Precisamos fazer com que os conhecimentos acadêmicos e populares dialoguem e se alimentem mutuamente, assim como as diferentes disciplinas dentro da academia. Por isso, a importância da ecologia de saberes", explica Petersen.

Para Fernanda Amorim, coordenadora da Comissão de Metodologia do XI CBA, o Congresso traz forte a marca da construção colaborativa. "O CBA é um grande processo mobilizador da diversidade de sujeitos que constroem a Agroecologia nas universidades e institutos, no campo e na cidade. O Congresso representa também um momento de encontro e de diálogo que alimenta ações e práticas nos diversos territórios de atuação", destaca.

Metodologia

A metodologia que inspirou a programação do XI CBA tem como base as proposições da "Pedagogia do Território", de Raquel Rigotto, e da Pedagogia Griô, de Líllian Pacheco e do Griô Márcio Caires. A partir dessas abordagens, a programação foi organizada no formato de teia. O intuito é aproximar as práticas, exercitando escuta, colheita e partilha de conhecimentos e experiências. O convite é para que todas e todos possam olhar para as diferentes linguagens, territórios e saberes fazendo a costura entre os princípios que permeiam a construção da agroecologia nos diversos espaços e sujeitos.

A culminância do congresso começará com uma mística de encantamento e acolhimento seguida da Conferência de Abertura, onde serão recebidas todas as e os participantes e conferencistas, num chamado ao diálogo diante do lema central - a ecologia de saberes. Os 16 eixos temáticos e questões geradoras serão abordados nos ambientes de Diálogo de Saberes e integrados em dez Conferências Conjuntas, tecendo a Conferência de Despedida.

A complexidade da programação reflete o desafio coletivo da prática e reflexão da Ecologia de Saberes, da tecelagem dos fios de resistência e da força que conectam os territórios e experiências em todo país.

A programação está disponível aqui. O convite é para a leitura atenta tanto dos ambientes e suas atividades quanto da metodologia pensada para cada espaço do congresso.

O XI CBA já começou
Encantamento e comunidade. Estes são os fios que têm tecido as ações de construção do XI Congresso Brasileiro de Agroecologia nos territórios. Seja nos encontros de planejamento da Comissão Local, nas atividades e processos preparatórios organizados em instituições de ensino, pesquisa e extensão, nas feiras agroecológicas e praças públicas das cinco regiões do país: o CBA já começou.

Assim, o incentivo é para que os Núcleos de Agroecologia, grupos e coletivos animem ainda mais os processos preparatórios em seus territórios com rodas de conversa, oficinas, mostra de filmes, participação nas feiras agroecológicas e convidem famílias agricultoras a participarem do CBA. O mais importante é dialogar sobre os temas trazidos no lema do congresso e pensar em maneiras coletivas de chegar até Sergipe - como as Caravanas Agroecológicas e Culturais.

Se possível, marque as redes da ABA-Agroecologia e da Rede Sergipana de Agroecologia, para a construção conjunta da memória do XI CBA.

XI CBA: chamada para Oficinas e Atividades Autogestionadas


Inscrições podem ser feitas até o dia 27/09 e devem ter entre 1 e 4 horas

O XI CBA já se aproxima! A menos de dois meses da realização do Congresso, a Comissão Organizadora celebra o fortalecimento dos processos coletivos nos territórios e a firmeza dos princípios que guiam os passos rumo ao XI CBA.

Entre os diversos ambientes que irão povoar a Universidade Federal de Sergipe (UFS), estão as Oficinas e Atividades Autogestionadas, momentos fundamentais de compartilhamento de saberes e fazeres com o objetivo de promover diálogos e trocas a partir das diferentes temáticas que permeiam a Agroecologia.


Distribuídas na programação do congresso, elas se integram às demais atividades propostas pelos eixos temáticos e podem ser inscritas até o dia 27/09. Para isso, é preciso que os grupos/coletivos pensem na sua proposta com carinho a partir do lema do Congresso, “Ecologia de Saberes: Ciência, Cultura e Arte na Democratização dos Sistemas Agroalimentares” e preencham o formulário de inscrição. As atividades propostas devem ter duração entre 1 (uma) e 4 (quatro) horas.

Para garantir a ecologia de saberes em sua práxis, sugere-se o uso de metodologias dialógicas e participativas, considerando a limitação de equipamentos e recursos para projeção e transmissão audiovisual. Vale ressaltar que elas serão realizadas em espaços abertos, como tendas e gramados, além de alguns espaços fechados na própria universidade.

A Comissão Organizadora do Congresso ficará responsável por selecionar as propostas até o dia 7 de outubro, caso não seja possível contemplar todas as inscritas. A Comissão também providenciará o espaço para realização das atividades. Já os materiais e ferramentas necessárias a sua realização são de responsabilidade dos grupos/pessoas proponentes.

Contribua com a jornada de construção agroecológica e inscreva sua proposta. Confira abaixo os critérios de seleção:

- Que tenham consonância com a proposta do XI CBA, considerando o tema “Ecologia de Saberes: Ciência, Cultura e Arte na Democratização dos Sistemas Agroalimentares” e o alinhamento a, pelo menos, um dos dezesseis eixos temáticos do Congresso;
- Que a pessoa responsável esteja inscrita no Congresso;
- Que sejam propostas por iniciativas coletivas/grupo;
- Que garantam a diversidade das regiões e dos territórios;
- Que garantam o protagonismo de mulheres e jovens;
- Que se adequem à quantidade e às características dos espaços disponíveis.









Nota da Comissão Técnico-Científica quanto ao parecer final dos trabalhos inscritos

A Comissão Técnico-Científica do XI Congresso Brasileiro de Agroecologia (CBA) informa que o parecer final quanto à aprovação dos trabalhos submetidos ao evento será enviado até o próximo dia 30 de setembro.

Foram 2.800 trabalhos inscritos, entre resumos expandidos e relatos de experiências técnicas e populares. Esse volume de conteúdo tem exigido grande fluxo de energia de muitas pessoas. Para que o processo tenha êxito, são necessárias a tranquilidade, a compreensão e a colaboração de todas e todos os envolvidos.

A Comissão também esclarece que há ainda trabalhos a serem corrigidos. Por isso, pede que autores e autoras dos trabalhos respondam, com as devidas correções, as mensagens de avaliação já enviadas. Sem as correções solicitadas, o trabalho não poderá ser aprovado. Veja aqui o passo a passo para o envio dos trabalhos corrigidos, dentro da plataforma Cadernos de Agroecologia.

Se ainda restarem dúvidas, ou outras questões em aberto, a indicação é de que seja feito contato diretamente com a Comissão através do e-mail - ctc.xi.cba@gmail.com

Comissão Técnico-Científica do XI CBA