O CBA

“É circular a imensidão.
É circular. É circular a palma da mão.
É circular. A solidão, o silêncio. A partida, o Sim e O não.
O cordão grão da vida e a missão. De chegada e saída. É circular.
É circular a folha no vento. É circular.
É circular o tamanho do tempo. É circular.
O novo, a mãe, coração, som da vida e o girassol.
A leitura do disco e a visão da maior das estrelas. É circular”. 
Circular – letra de Luiz Guima e Camila Costa

Desde 2003, o Congresso Brasileiro de Agroecologia (CBA) vem sendo realizado com participação ativa e ampla de instituições de ensino, pesquisa e extensão e a sociedade civil organizada envolvida com as demandas da agricultura familiar e lógicas familiares de produção, em geral. Inicialmente pensado como espaço de valorização da agroecologia como ciência, o CBA vem amadurecendo como verdadeiro espaço de diálogo entre os conhecimentos científicos e práticos, construído por todos os parceiros da agricultura familiar e camponesa, no Brasil e no mundo.

Circulando pelos aprendizados dos CBAs anteriores e do próprio IV Encontro Nacional de Agroecologia (IV ENA, realizado em Belo Horizonte/2018), onde foi lançada a primeira carta convocatória do XI CBA, entendemos que podemos experimentar a construção do CBA Nordeste de forma processual. 

Nossos diálogos apontaram o desafio de consolidar outra forma de fazer ciência, pautada no diálogo de saberes, para (re)construir (re)xistências, soberania e arte. Neste sentido, esse desafio é impreterivelmente coletivo.

Por isso, as edições anteriores do congresso trouxeram para o debate público temas relevantes para o fortalecimento da agroecologia em todo território nacional e direcionaram para a escolha do tema da XI edição do Congresso - Ecologia de Saberes: Ciência, Cultura e Arte na Democratização dos Sistemas Agroalimentares. 

Essa energia criada em dez edições do Congresso circulou, brotou e floresce mais intensa no XI CBA, este ano, em Sergipe.

A Carta Agroecológica do Cerrado, publicada ao final do X CBA, realizado em Brasília, em setembro de 2017,  sintetiza as expressões de resistência e luta presentes no congresso. Leia a carta política na íntegra aqui, disponível no site da ABA-Agroecologia.

Conheça um pouco mais a memória dos congressos aqui. Lhe convidamos a construir conosco mais este rico e potente processo!