Semeando Resistência, Soberania e Arte: O XI CBA já começou!

“Matutando o CBA
Chega pra cá minha gente
Convida a companheira
Juntamos os movimentos
Presentes na caminhada

CBA 2019
Aqui foi dada a largada

As nossas experiências
Servem para nos ensinar
Aprendemos com o ENA
Que fizemos em BH
Com os CBAs anteriores
Brasília e Belém do Pará

Valorizando os saberes
Da cultura popular
Dos indígenas e quilombolas
Nos ajudam a caminhar
Fortalecendo a agroecologia
Pra os povos empoderar

Foi através da resistência
Que chegamos até aqui
Disputando os territórios
Pra podermos existir
Um mundo agroecológico
É o que queremos construir

O CBA será um sucesso
Eu sei bem como é que é
Nós temos o principal
Que é a força da mulher
De camponeses, da juventudes
A todos força e saúde
Plantemos no povo essa fé

A mística da agroecologia
É coisa que a gente vive
Os sonhos aqui sonhados
É preciso que os cultive
Sigamos nessa construção
Fazendo a revolução
E gritando Lula Livre!”
(Maicon Catingueiro, cordelista e da Rede Paraibana de Núcleos de Agroecologia)

Comissão Local realiza 1ª Pré-CBA. Foto: Priscila Viana
Na construção e na luta por uma ciência popular que dialogue com os desafios do campo e na cidade nos encontramos e partilhamos experiências. Esta foi a energia que circulou durante o “Seminário de Pesquisa e Políticas Públicas em Agroecologia”, realizado na tarde do dia 23 de agosto na Universidade Federal de Sergipe (UFS) e organizado pela Rede Sergipana de Agroecologia (RESEA) e Comissão Local do XI CBA, como atividade de abertura do Seminário Regional de Construção do XI CBA. Garantir espaços de reflexão e apontar caminhos para seguirmos construindo a agroecologia nos territórios foram alguns dos objetivos do encontro.

Com a participação de diversos coletivos, agricultoras e agricultores da região Nordeste, Núcleos de Estudo em Agroecologia, instituições de ensino, pesquisa e extensão, representantes dos movimentos sociais realizou-se o I Seminário Regional para construção do XI CBA, que encerrou suas atividades acompanhando a Romaria da Terra no município de Canhoba, no dia 26, domingo.

Como cantou Dona Josefa, guardiã de sementes e histórias do Quilombo Sítio Alto, no município de Simão Dias (SE): “Põe a semente nas mãos de quem semeia. Põe a semente na mão do semeador. Põe a semente na terra, A semente nasce e cresce na mão do trabalhador”

A arte e a cultura popular: a força e a sensibilidade do nordeste

Centenas de mãos tecem os rumos do XI CBA.
Foto: Priscila Viana
Inspiradas e inspirados pela história do Vaza Barris, que nasce no sertão da Bahia e corre por 450 km até desaguar no oceano Atlântico e banhar o litoral sergipano, demos início ao desenho do próximo Congresso Brasileiro de Agroecologia, que terá sua culminância em novembro de 2019 em Sergipe. O rio traz em suas águas a luta popular travada em Canudos (1896-1897), liderada por Antônio Conselheiro com a participação de milhares de sertanejas e sertanejos que exigiam melhores condições de vida e acesso a terra, contra as oligarquias locais.

Durante os dias 24 e 25 sonhamos e tecemos, a 160 mãos, os objetivos do CBA do Nordeste. Os sonhos se materializaram em nosso planejamento de ações nos territórios, trazendo os anúncios e denúncias, mobilizando os processos preparatórios e fortalecendo as práticas agroecológicas locais como pontos de partida para construção descentralizada, plural e solidária.

Rumo ao XI CBA: processos preparatórios fortalecem os passos.
Foto: Priscila Viana
Foram apontadas seis comissões para seguirmos na construção do XI CBA: Secretaria Executiva; Infraestrutura e Logística; Técnico-Científica; Captação de Recursos e Parcerias; Metodologia e Comunicação, Cultura e Arte. O momento de colheita de sugestões e inspirações é fundamental e potencializa nossa criação conjunta, acolhendo a diversidade de expressões, temas e formas de trabalhar em coletivo.O lema e objetivos do congresso serão divulgados em breve, assim como os próximos passos!